É no transporte público da cidade de São Paulo que se concentra grande parte dos casos de assédio sexual, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Desde setembro de 2018, foram registrados 130 casos de importunação sexual no transporte público. E pesquisa da Rede Nossa São Paulo aponta que uma em cada quatro mulheres já sofreu esse tipo de violência dentro de ônibus, metrô ou trem.

De outro lado, os assaltos a ônibus também são uma fonte de preocupação constante da população, de motoristas e cobradores e do poder público.

Levando em conta que os ônibus andam lotados e que agressores sexuais e ladrões aproveitam o espaço reduzido para praticar o delito, o Projeto de Lei 662/17, do vereador Gilberto Nascimento (PSC/SP), dispõe sobre a instalação de botão de pânico dentro do transporte coletivo da capital. Assim, sempre que houver alguma ocorrência, o motorista ou o cobrador poderão acionar o dispositivo.

Pela proposta, o botão de pânico ficará em local não visível e, assim que acionado, o letreiro do ônibus emitirá uma informação com a palavra EMERGÊNCIA e enviará dados, por meio do GPS, à central de monitoramento da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

"O projeto ainda está em tramitação na Câmara dos Vereadores".

Telefone:  (11) 3396-4405

Email: 

vereadorgilbertonascimento@camara.sp.gov.br

Viaduto Jacareí, 100 | Cep: 01319-900

 4° andar | Sala 415 | Bela Vista | São Paulo - SP

INSTAGRAM.png
TWITTER.png

PARTICIPE ! O MANDATO NÃO É MEU, É NOSSO!

ENVIE-NOS SEU FEEDBACK
Avalie-nosRuimNão muito bomBomMuito bomÓtimoAvalie-nos